Posts

O que fazer no Natal em Miami

O Natal em Miami é diferente do que estamos acostumados, por isso preparamos algumas dicas para você

Se você está com viagem marcada para Miami e vai passar o Natal na cidade, antes de definir a programação da data comemorativa, é preciso saber que os costumes são diferentes do que no Brasil.

Nós costumamos comemorar o Natal na véspera com uma ceia que dura até tarde, ou seja, na noite do dia 24 de dezembro. Nos Estados Unidos, é um pouco diferente. Ninguém fica acordado até tarde um dia antes, pelo contrário. As crianças querem ir cedo para cama, pois o costume é abrir os presentes na manhã do dia 25, seguido por um brunch, uma refeição que une o café da manhã e o almoço, muito comum no país. Por isso, no dia de Natal a maioria das lojas e serviços não abrem, e você precisa se planejar para não ficar sem programação nesse dia.

Além de fazer passeios pela cidade, que nessa época está impecavelmente decorada, você também pode fazer reservas para a ceia nos restaurantes que ficam abertos e oferecem um cardápio diferenciado para o dia.

Para lhe ajudar, preparamos uma lista com 4 restaurantes em Miami. Confira.

Azul

O restaurante fica localizado no hotel Mandarin Oriental, e tem uma vista de tirar o fôlego para a baía e cidade de Miami. No Natal, a casa especializada em gastronomia americana com influência asiática oferece um menu especial peruano, incluindo ceviches e bebidas refrescantes.

3

La Mar by Gaston Acurio

Também fica localizado no Mandarim Oriental, e sua especialidade é comida peruana. O restaurante é a escolha ideal para ceiar com a família, pois no Natal oferece pratos para seis ou mais pessoas.

4

Area31

O Epic Hotel, em Downtown Miami, abriga o restaurante que tem uma vista privilegiada para a cidade. No Natal, o Area31 oferece buffet com saladas, pratos quentes, sobremesa e bebidas.

2

IL Gabbiano

É um dos italianos mais famosos de Miami. Apesar de não oferecer pratos especiais de Natal, o tradicional menu do Il Gabbiano é garantia de uma ceia farta em um ambiente bastante familiar.

untitled

O ideal é que as reservas sejam feitas o quanto antes, já que a procura pelos restaurantes é alta e o número de vagas é limitado por conta dos cardápios especiais. Aproveite os dias em Miami para comprar os presentes de Natal e deixe que a gente se encarrega das reservas. Entre em contato com a nossa equipe e boa viagem.  

 

Please rate this

Cada vez mais brasileiros tentam ganhar a vida em Miami

A cidade de Miami tem atraído cada vez mais brasileiros em busca de oportunidades, segurança, qualidade de vida e preços e juros mais baixos.

A crise econômica de 2008 fez despencar os preços de casas e apartamentos nos Estados Unidos. Uma residência de luxo em Miami custa um terço do valor de um imóvel semelhante em Jurerê Internacional. Muitos corretores catarinenses aproveitam o momento para ganhar dinheiro na Flórida, já que quem compra ou constrói em Miami tem o dobro do retorno pelo investimento em relação ao Brasil.

Uma boa dica para economizar na hora de viajar para Miami é comprar as passagens de ida e volta juntas e com bastante antecedência, pois assim você pode conseguir ótimos descontos.

Geralmente os dias mais baratos para voar são terça-feira e quarta-feira.

Outra dica é fazer uma uma cotação online entre as diversas companhias aéreas que operam em Miami . Os preços das passagens variam diariamente.

Com 359 voos diários, o hub da American Airlines em Miami é a porta de entrada para a América Latina. A partir de Miami a American tem 291 voos diários para 123 destinos (os outros 68 são da American Eagle), incluindo Campinas, que começará em dezembro, e Cabo Haitiano, as duas mais novas operações.

Na América do Sul, a AA voa para 24 destinos desde Miami, incluindo dez cidades brasileiras.

Please rate this

Brasileiros se sentem cada vez mais atraídos por comprar imóveis em Miami

Brasileiros estão entre os maiores compradores de imóveis em Miami que se mudam para lá buscando tranqüilidade, conforto e também a possibilidade de fazer bons investimentos.

Miami foi fundada em 1896 por Julia Tuttle , uma rica e influente industrial. Com o passar dos anos, Miami fixou-se como uma região de opções variadas e atrações para todos os gostos e estilos, chamando a atenção de turistas de todo o mundo em busca de diversão e entretenimento além um estilo de vida repleto de glamour à beira-mar.

Com ótimas opções de negócios, Miami vem chamando a atenção de investidores do mundo todo, principalmente do setor imobiliário. Entre eles, muitos brasileiros atraídos por um custo relativamente menor que o brasileiro, a incerteza no mercado nacional e, sobretudo, os preços.

Visando criar bases em território americano, um público mais restrito de brasileiros de alta renda tem investido forte no mercado imobiliário, comprando casas e apartamentos de valores que variam de US$ 100 mil a US$ 5 milhões, especialmente em Miami e outras cidades da Flórida, onde se fala amplamente espanhol.

De acordo com Luiz Kechichian, diretor da Mirantte Soluções Imobiliárias, empresa especializada em compra, venda e locação de imóveis em São Paulo e Miami, os preços dos imóveis e na cidade americana estão em média 30% mais baratos que antes da crise, além das taxas de financiamento baixas, por volta de 4 a 5% a.a.

Segundo especialistas, Miami possui uma série de atrativos, entre eles a rentabilidade, já que a demanda supera a oferta e, desta forma, não há risco de uma queda de preços. Além disso, até 2020 há a previsão de US$ 10 bilhões de investimentos na região sul da cidade e a geração de mais de 120 mil novos empregos, com a inauguração de inúmeras opções de entretenimento, hotéis, a marina (ampliação do porto, atraindo mais turistas), parques, entre outros e investimentos em imóveis de alto padrão com requinte arquitetônico.

Para comprar, vender ou alugar imóveis em Miami, é imprescindível a obtenção do visto EB-5, que possibilita a obtenção do green card e até da cidadania americana, voltado para investidores e estendido a familiares menores de 21 anos.

“Este tipo de visto não tem atraso durante o processo, permite desconto em escola de ensino superior, entre outros benefícios”, revela o advogado americano Shayne Epstein.

Please rate this

Outubro tem descontos em atrações e até Carnaval em Miami

Outubro é o mês das atrações em Miami. Pelo terceiro ano consecutivo, o órgão oficial de turismo de Miami realiza um programa que oferece a turistas e moradores descontos de até 50%  nas entradas de inúmeras atrações da cidade, durante todo o mês de outubro.

O Miami Attractions Month inclui várias opções vão desde atrações históricas a aventureiras, naturais ou artificiais, como o Vizcaya Museum & Gardens, Miami Children’s Museum, Everglades Alligator Farm, entre outros.

Além disso, no dia 09/10 acontece a 26ª edição do Carnaval de Miami Gardens, um dos eventos mais característicos do sul da Flórida.

carnaval em miami

O tema do desfile de bandas deste ano será as cores e ritmos do Caribe.

O evento sempre é comemorado no domingo mais próximo ao Columbus Day, dia da chegada de Cristóvão Colombo na América, que na verdade ocorreu em 12 de outubro de 1492.

Please rate this

O turismo de compras vem sendo cada vez mais procurado pelos brasileiros

O crescimento econômico do Brasil nos últimos 10 anos inseriu o país no turismo de compras, uma modalidade de turismo que se fortalece cada vez mais.

Muitos consumidores se valem da possibilidade de comprar produtos de qualidade internacional por preços muito inferiores aos praticados no país para planejar suas viagens. Mesmo que o motivo da viagem não seja especificamente fazer compras, é muito difícil resistir a algumas lembranças, principalmente com preços tão atrativos.

Os locais mais procurados para o turismo de compras ou turismo de consumo, como também é conhecido, são aqueles cujos produtos são reconhecidos pelos melhores preços e qualidade.

Entre os destinos mais procurados pelos brasileiros para compras no exterior, estão o Chile, Paraguay e o Uruguay.

Outros destinos como Tailândia e Indonésia, na Ásia, vendem equipamentos fotográficos e produtos eletrônicos com preços comparáveis aos dos EUA.

E por falar em Estados Unidos, o destino campeão de preferência dos brasileiros em termos de turismo de compras é Miami.

Sobre esse assunto, a Notimex, agência de notícias do México, produziu uma uma reportagem na qual citou a Eagle Tours de Miami, empresa especializada em turismo receptivo e turismo de compras para brasileiros em Miami.

Segundo Heriberto Araujo, correspondente da agência mexicana no Brasil, a matéria foi republicada por vários veículso no Mexico e Estados Unidos. Confira abaixo a reportagem (em espanhol) :

Brasileños se lanzan al desenfrenado turismo de compras
Por Heriberto Araújo. Corresponsal.

Sao Paulo, 5 Ago. (Notimex).- Alentados por el crecimiento económico y la apreciación de la moneda local, cada vez más brasileños viajan a Estados Unidos y Europa con el objetivo de comprar masivamente teléfonos celulares, ropas de marca e incluso productos para bebé, cuyo coste en Brasil es mucho mayor por los altos impuestos y los aranceles.

Los datos del Banco Central indican que ni siquiera la Copa del Mundo –que atrajo a 600 mil viajeros foráneos el mes que duró el evento- logró revertir la balanza de gastos de los viajeros internacionales, que desde marzo de 2005 no cesa de registrar una masiva salida de divisas por medio de los dólares y euros gastados por los brasileños que viajan.

Si las autoridades se congratulan de que en junio se estableciera un nuevo récord de gasto de turistas extranjeros en el país, con casi 800 millones de dólares, la cifra quedó eclipsada por los más de dos mil millones de dólares desembolsados por los brasileños en sus salidas al exterior.

“Buena parte de los turistas brasileños consideran la compras como un factor muy importante a la hora de elegir destino”, explica a Notimex Adriano Gomes, director de productos internacionales y operaciones del touroperador brasileño CVC, que organiza paquetes de viaje a Cancún, Miami, Orlando y Europa.

“Las familias suelen organizarse de la siguiente forma: dedican unos días a visitar parques de atracciones en Estados Unidos y luego se reservan tres o cuatro días solo para comprar en ‘outlets’ y centros comerciales de Miami o Orlando”, agrega la fuente, entrevistada en Sao Paulo.

CVC tuvo que adaptarse a las necesidades de su clientes y “ofrecer vehículos más grandes y guías que llevan a los turistas a los principales centros comerciales”, según Gomes, que indica que México no es percibido como un lugar de compras, sino “un país donde encontrar playa, entretenimiento y gastronomía”.

La brasileña Thais Lima, fundadora y directora de la agencia Eagle Tours & Tranportation, con sede en Miami, confirma que las compras “es una parte fundamental” del viaje de los brasileños a la capital de Florida.

“El consumo y el nivel de compras es absolutamente absurdo. Nosotros transportamos a la gente en furgonetas con capacidad para 15 personas y a veces copan todo el espacio apenas tres parejas, porque llevan decenas de bolsas de productos electrónicos, ropa, relojes, maquillaje y todo tipo de bienes”, indica, entrevistada por teléfono desde Miami.

Ese gasto –que fácilmente asciende a varios miles de dólares por persona- se efectúa fundamentalmente en efectivo, sobre todo después de que las autoridades brasileñas impusieran un inaudito impuesto a las transacciones realizadas con tarjetas de crédito, débito y cheques de viaje en el exterior del 6.38 por ciento, con el objetivo de tratar –sin éxito- de frenar la salida de divisas.

“He visto familias con hasta 120 mil dólares en efectivo para gastos y compras”, explica Lima, que reconoce que “algunos clientes vienen de compras para revender los productos en Brasil y han hecho de ello su modo de vida”.

Florida es el principal destino turístico para los brasileños que viajan a Estados Unidos, y los datos oficiales indican que cada turista gasta de media unos cinco mil dólares por visita, el doble de lo que desembolsa un francés o un inglés.

La Organización Mundial del Turismo (OMT) sitúa a Brasil como el duodécimo país del mundo en el ránking de gasto por turista internacional, y en 2012 la media por persona y viaje fue de mil 755 dólares.

Este turismo de consumo resulta debidamente reflejado en las cifras, que alcanzan un volumen extraordinariamente alto: entre junio de 2013 y 2014 los brasileños gastaron 27 mil 288 millones de dólares en el exterior, mientras los extranjeros en Brasil desembolsaron algo más de siete mil 300 millones de dólares, según datos del Banco Central facilitados a Notimex.

“El aumento del gasto en los viajes internacionales refleja el aumento de la renda y la disminución de la desigualdad social en el país, así como el proceso de internacionalización de las empresas nacionales”, asegura en entrevista el Banco Central, a través de su gabinete de comunicación, que admite no tener datos acerca del impacto en la recaudación fiscal de este frenesí por comprar en el exterior.

Brasil creció una media del 3.8 por ciento anual entre 2004 y 2012, según datos del Banco Mundial, lo que provocó la creación de una nueva clase media que, por primera vez, puede permitirse viajar al extranjero.

Celulares y tabletas de la marca Apple, ropa deportiva y de marcas internacionales, maquillaje, productos para bebé y todo tipo de componentes electrónicos tienen en Brasil precios exorbitantes que, en ocasiones, duplican o triplican el costo fuera de las fronteras.

Ello se debe a los aranceles aplicados a los productos que llegan acabados –una medida destinada a promover que los productores instalen ensambladoras-, pero también a la alta carga impositiva a algunos productos.

Esta situación provocó que muchas personas hayan visto en el contrabando –enmascarado en compras personales- una forma de vida, pues productos como iPhones o iPads son fáciles de vender en tiendas virtuales de ciudades como Río de Janeiro, Sao Paulo o Recife por precios que aseguran beneficios de cientos de dólares por transacción.

Un ejemplo de ello fueron dos asistentes de vuelo estadounidenses arrestados en agosto de 2013 cuando, procedentes de un vuelo desde Miami, intentaban entrar en Brasil 14 teléfonos celulares inteligentes, videojuegos, relojes y computadoras, con el objetivo de revenderlos.

NTX/HA

Please rate this

Número de turistas brasileiros em Miami bate recorde em 2013

Nunca houve tantos turistas brasileiros em Miami quanto no ano passado – e eles também gastam cada vez mais dinheiro na cidade.

brasileiros em MiamiDe acordo com dados divulgados pelo Greater Miami Convention & Visitors Bureau’s, órgão oficial de turismo da cidade, 755,5 mil turistas saíram do Brasil para visitar o destino no ano passado. É um aumento de 9,5% em relação ao ano anterior, quando 690 mil brasileiros desembarcaram por lá.

Os gastos dos brasileiros em Miami no ano passado também foram maiores. Cada turista gastou, em média US$ 285,32 (em torno de R$ 635) por dia de viagem, e um total de US$ 2.225,50 (quase R$ 5 mil) na viagem como um todo. O acúmulo disso fez o gasto total dos turistas superar US$ 1,68 bilhões (cerca de R$ 3,7 bilhões), 12,6% a mais do que em 2012.

O Brasil é o primeiro mercado emissor de turistas para Miami desde 2011, quando superou o Canadá. O país do Hemisfério Norte foi o segundo no ranking desse ano, com 660 mil viajantes, seguido por Argentina, Colômbia, Venezuela, Alemanha, Inglaterra, Bahamas, França e Costa Rica.

E não é só para turismo que brasileiros têm procurado Miami. Atualmente, cresce o número de brasileiros que compram imóveis na cidade. Segundo uma estimativa da imobiliária Piquet Realty, 13% de todas as vendas na região em 2013 foram para brasileiros em Miami.

brasileiros em MiamiOutras estatísticas falam em 20%. O número pode ser ainda maior, pois boa parte das casas e dos apartamentos é comprada em nome de empresas, já que nos Estados Unidos elas pagam menos impostos sobre propriedade, o que torna impossível determinar a nacionalidade dos clientes. Eles também dão preferência para imóveis que custam mais de US$ 500 mil.
Entre os atrativos da cidade, estão as praias paradisíacas e a quantidade de shoppings e outlets, que vendem produtos de alta qualidade a preços baixos. O resultado disso é o alto número de turistas: no total, mais de 14,1 milhões de pessoas visitaram Miami no último ano.

A Eagle Tour possui pacotes e passeios especiais em português para brasileiros em Miami que desejam aproveitar ao máximo a cidade. Não deixe de conferir.

Please rate this

Dicas para você aproveitar o melhor de Miami

Maria Marina Serrão Cabral*

São tantos os brasileiros que vão a Miami, e com tanta frequência, lotando suas lojas, hotéis, praias e atrações diversas que, ao circular por lá, tem-se a impressão de que ainda estamos no Brasil. Talvez, no máximo, em outra cidade, mais organizada e limpinha.

Situada ao sul da Flórida, uma região de clima quente e belas praias, Miami tornou-se famosa e procurada por gente de todo o mundo, inclusive americanos, e há boas razões para isto além do clima. Dá para sentir uma certa generosidade latina no ar, costumes um pouco diferentes do que predomina no resto do país, motoristas que a gente jura que só podem ser brasileiros, ritmos caribenhos nas rádios e gente falando espanhol e português à nossa volta, onde quer que se vá.

miami beach ocean drive

Nunca é demais lembrar que Miami Beach é a praia de Miami -mas, na verdade, é outra cidade. Sim, elas são vizinhas, têm o mesmo nome e alguns distraídos podem até nem perceber quando se está saindo de uma e entrando em outra. Miami é o centro, onde fica o comércio principal. E Miami Beach é o litoral, com todas suas belas praias.

A região tem muitas opções para compras, o programa preferido dos brasileiros. Os melhores shoppings são: The Falls e Dadeland Mall em South Miami, Village of Merrick Park em Coral Gables e Aventura Mall em North Miami. O Shopping Bal Harbour, com as melhores grifes do mundo, merece ser visitado, mesmo sem fazer compras. Aos sábados e domingos, vá à Lincoln Road, em South Beach. É uma delícia caminhar, andar de bicicleta, patinar, olhar vitrines e fazer compras. Para pausas, você encontra variados bares e cafés.

Para comer, indico um memorável brunch de domingo no restaurantes do Hotel Ritz-Carlton. No Cheesecake Factory (com vários endereços em Miami), sempre se encontra boa comida e preços razoáveis. Vale conferir o Michael’s Genuine Food, o mais novo restaurante na deliciosa região do Design District (bem próximo a South Beach), pouco conhecido por turistas.

E visitar: Vizcaya, a residência milionária do fundador de Miami. Passear por South Beach, admirando a arquitetura art-deco e parar para um cafezinho na Ocean Drive, observando o movimento. Curtir um fim de tarde vendo a saída dos navios no novo South Point Park em South Beach. Passear pela Collins Avenue, de South Beach até Bal Harbour. A Deco Bike fornece bicicletas em inúmeros pontos espalhados pela cidade e permite retirar em um lugar e devolver em outro. É uma delícia pedalar pelo extenso boardwalk de South Beach!

Visite também o badalado e artístico Design District, zona em plena ascensão, próximo à Downtown. Repleta de galerias, restaurantes descolados e boutiques que se juntaram as inúmeras lojas de decoração do bairro. Não deixe de visitar e se emocionar no Holocaust Memorial, museu a céu aberto criado as vítimas do massacre nazista.

Durante o verão, esteja preparado para encontrar um calor muito forte, que surpreende mesmo quem vem de um país tropical, e também uma umidade altíssima, que embaça óculos e lentes de câmeras.

Não é à toa que Miami foi escolhida como sonho de aposentadoria de tantos americanos e sonho de consumo de muitos brasileiros. Ela merece.

Maria Marina Serrão Cabral é nutricionista e mora em Porto Alegre.

Fonte: ZERO HORA

Please rate this